Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 24 de março de 2011

Programa de Português Língua Segunda para alunos surdos

O Programa de Português Língua Segunda (PL2) para alunos surdos dos ensinos básico e secundário foi homologado pelo Ministério da Educação.
Este programa destina-se a alunos surdos que têm a língua gestual portuguesa como primeira língua (língua materna) e frequentam a rede de escolas de referência para o ensino bilingue de alunos surdos.
Esta iniciativa, pioneira e inovadora em Portugal e a nível internacional, concretiza o modelo de educação bilingue e bicultural, reconhecendo a língua gestual portuguesa como língua materna do surdo e da língua portuguesa escrita, com segunda língua.
O programa foi elaborado por uma equipa que integrou professores especialistas no domínio da língua portuguesa e no domínio da surdez, coordenada pelo professor José Afonso, da Universidade Católica Portuguesa.
Os alunos surdos têm actualmente ao seu dispor a modalidade de ensino bilingue, ministrada nas escolas de referência. Os estudantes são incluídos em turmas de alunos surdos que dispõem dos recursos humanos necessários para que possam beneficiar do ensino em língua gestual portuguesa como primeira língua e do ensino do português escrito como segunda língua.

segunda-feira, 21 de março de 2011

DIA MUNDIAL DA POESIA

Imagem retirada da net.

A poesia é «outra» forma de expressar os sentimentos... o que nos vai na alma.

O AMOR


O amor é
Louvor!
Quando amamos,
Sentimos um pressentimento,
Não rabugento;
Não de tormento.

Amor...

Sensação a subir de cima abaixo.
O amor dá-nos pavor.
Mas se tímido fores,
Aí te dá temor.
Daniel Simão, 5º C

quarta-feira, 9 de março de 2011

A MENINA DO MAR

Retrato de Sophia de Mello Breyner Andresen retirado da net.


 A Menina do Mar é a obra literária, escrita por  Sophia de Mello Breyner Andresen, que iremos estudar nos próximos dias. Antes de iniciar a leitura da obra é importante conhecer a escritora e as suas motivações. Assim, aqui fica a sua autobiografia, embora nós já a conheçamos através de outras leituras.
.
"Nasci no Porto mas vivo há muito em Lisboa.
Durante a minha infância e juventude passava os verões na praia da Granja, de que falo em tantos dos meus poemas e contos.
Estudei no Colégio Sagrado Coração de Maria, no Porto, e quando tinha 17 anos inscrevi-me na Faculdade de Letras de Lisboa, em Filologia Clássica, curso que, aliás, não terminei. Antes de 25 de Abril de 1974, fiz parte de diversas organizações de resistência, tendo sido um dos fundadores da Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos.
Depois de 25 de Abril de 1974, fui deputada à Assembleia Constituinte (1975-1976) e detesto escrever currículos...
Porque comecei a escrever para crianças?
Comecei a inventar histórias para crianças quando os meus filhos tiveram sarampo. Era no Inverno e o médico tinha dito que eles deviam ficar na cama, bem cobertos, bem agasalhados. Para isso era preciso entretê-los o dia inteiro. Primeiro, contei todas as histórias que sabia. Depois, mandei comprar alguns livros que tentei ler em voz alta. Mas não suportei a pieguice da linguagem nem a sentimentalidade da "mensagem"; uma criança é uma criança, não é um pateta. Atirei os livros fora e resolvi inventar. Procurei a memória daquilo que tinha fascinado a minha própria infância. Lembrei-me de que quando eu tinha 5 ou 6 anos e vivia numa casa branca na duna - a minha mãe me tinha contado que nos rochedos daquela praia morava uma menina muito pequenina. Como nesse tempo, para mim, a felicidade máxima era tomar banho entre os rochedos, essa menina marinha tornou-se o centro das minhas imaginações. E a partir desse antigo mundo real e imaginário, comecei a contar a história a que mais tarde chamei Menina do Mar.
Os meus filhos ajudavam. Perguntavam:
- De que cor era o vestido da menina?
O que é que fazia o peixe?
Aliás, nas minhas histórias para crianças quase tudo é escrito a partir dos lugares da minha infância."


in De que são feitos os sonhos, Areal Editores



 A  Menina do Mar  conta-nos uma história de amizade, entre um rapaz e uma menina.

Obs.: Saliente-se que o leitor terá de estar atento pois há, infelizmente, alguns erros ortográficos, de pontuação e semânticos no texto (apesar do trabalho ÚTIL e FACILITADO), bem como nos exercícios interactivos que aqui são apresentados. Temos que AGRADECER aos autores e saber usar a informação que nos chega. É salutar saber ver com olhos sábios!


 
Estiveste com atenção, durante a leitura?
Verifica!




E por que não ouvir a história? Fecha os olhos e viaja...


Novamente, dois desafios:





E por que não assistir a um excerto do musical de Filipe La Féria?







Boas leituras!














quarta-feira, 2 de março de 2011

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA E POESIA


A nossa Professora Isabel Montes vai expor os seus trabalhos de fotografia e de textos na Galeria de Arte/Capela de Santo António, em Ferreira do Alentejo. Gostaríamos também que trouxesse a exposição para a nossa cidade. Poderíamos visitá-la, em conjunto.
Desejamos-lhe muitas felicidades e sucesso!

                                                                    Os seus alunos


Para quem não pode ir visitar a exposição ou possa vir a visitá-la, fica aqui uma pequena amostra:

video